No último dia do SET eXPerience Live, um painel foi inteiramente dedicado às apresentações das propostas recebidas do chamamento do Fórum do Sistema Brasileiro de TV Digital para o modelo de TV 3.0 que se pretende criar no Brasil.

O presidente do Fórum, José Marcelo Amaral, abre o painel exaltando a importância da TV Aberta no Brasil.

“A TV Aberta continua garantindo, à maioria da população, acesso gratuito e democrático à informação e ao entretenimento, mesmo diante de tanta competição”, afirma.

5G

Mohamed Aziz Taga, gerente de produto e líder de Desenvolvimento de Negócios da Rohde & Schwarz, e Thomas Stockhammer, director Technical Standards da Qualcomm Technologies, apresentam os benefícios da tecnologia para a TV 3.0.

Aziz Taga destaca avanços importantes para proporcionados pelo 5G para melhorar a experiência dos consumidores, como o Venue Casting capaz de aprimorar a atmosfera local em casa com a experiência ao vivo e multicast de segurança pública com alertas de emergência e sistemas de monitoramento climático.

“A mudança do comportamento do consumidor vai orientar os modelos negócios, pois a TV linear está perdendo popularidade para os serviços de streaming”, diz Aziz Taga.

Para Stockhammer, o 5G traz novas oportunidades tecnológicas, como realidade estendida, inteligência artificial e 8K.”

ATSC 3.0

Madeleine Nolan, presidente da ATSC, afirma que o ATSC 3.0 é “completamente maduro e pronto para atender à demanda do Brasil.”

“O ATSC 3.0 é compatível com quase todos os requisitos do chamamento, além de suportar APIs Ginga e oferecer outras funcionalidades, como novos recursos para o público com deficiência visual e auditiva”, destaca

AVS Audio

Shanshe Wang, chair of International Group of AVS Alliance, falou sobre novo codec padrão de áudio lançado pela empresa.

“O AVS áudio fornece áudio 3D baseado em objetos multicanal e solução de codec baseada em cena. Também fornece alta qualidade, alta eficiência, baixa latência de algoritmo, ferramentas ricas de codificação, configuração flexível e ampla adaptabilidade”, afirma Wang.

ISDB-T

O modelo atual de TV digital no Brasil segue o padrão ISDB-T.

Masayuki Sugawara, Presidente do Digital Broadcasting Expert Group (DiBEG), apresenta o padrão ISDB-T Avançado, capaz de alcançar a eficiência espectral perto do limite de Shannon e permite a seleção flexível da taxa de bits dependendo do serviço necessário. Os resultados experimentais são fornecidos como informações suplementares

SET eXPerience

Acesse setexperience.org.br para assistir, ler e estudar tudo o que foi produzido nos quatro meses de evento!

Por |2020-12-04T16:39:45-03:0004/12/2020|News|0 Comentários
Ir ao Topo